简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Passeios > A linda Itacaré tem belezas que você nem imagina

A linda Itacaré tem belezas que você nem imagina

Publicado em: 11/03/2019
Por: Fonte - Férias Brasil


Antigo refúgio dos coronéis do cacau, Itacaré entrou para o esquecimento na década de 60 quando uma praga implacável, a vassoura-de-bruxa, levou à decadência as fazendas da região. O destino só foi redescoberto 40 anos depois, com a inauguração da Estrada-Parque Ilhéus-Itacaré. O asfalto substituiu a precária estrada de terra, até então encarada somente pelos surfistas que, nos anos 70, desbravaram e mantiveram no anonimato o abandonado pedaço do paraíso.
Com o acesso fácil vieram também a badalação, as mordomias – pousadas confortáveis, resorts sofisticados, restaurantes de cozinha internacional, cybercafés, lojinhas… – e o movimento constante de turistas.

Itacaré, porém, renasceu sob as bênçãos do ecoturismo e vem crescendo de maneira ordenada, preservando rios, cachoeiras e praias desertas emolduradas por morros cobertos de Mata Atlântica – um cenário bem diferente dos principais cartões-postais da Bahia, onde predominam dunas e falésias.

Esportes e Ecoturismo em Itacaré:

Surf

Considerado um dos melhores pontos do Nordeste para a prática do surf, Itacaré oferece uma sequência de praias que atraem esportistas de todo o país. As melhores ondas são encontradas em Tiririca – o principal pico e cenário de campeonatos estaduais. No inverno – entre maio e julho – as formações chegam a três metros de altura. Outros points são Prainha, Itacarezinho, Jeribucaçu, Ribeira e Havaizinho. Com mar mais tranquilo, Engenhoca e Ribeira são as pedidas para os iniciantes. Cursos ensinam desde como ficar em pé na prancha até manobras mais ousadas (mínimo de 4 dias, incluindo prancha, palestras e traslados).

Trekking e mountain-bike

Diversas trilhas cortam fazendas e conduzem às paradisíacas praias de Itacaré, descortinando riachos, cachoeiras e costões. As caminhadas são de nível médio e devem ser feitas com acompanhamento de guia. A que leva à Prainha, partindo da praia da Ribeira, é considerada uma das mais bonitas da região.

Rafting

A concorrida atividade é praticada no rio mais famoso de Itacaré, o rio de Contas. A descida dura duas horas e acontece no trecho mais “emocionante” do rio – são três quilômetros de corredeiras entre cânions.

Caiaque e canoagem

A aventura rola nas corredeiras dos rios de Contas e de Tijuípe e nas praias centrais, como Concha, Resende e Tiririca. Para visitar alguns atrativos, com o cachoeira do Cleandro, é preciso remar!

Arvorismo e Tirolesa

Em uma área cercada pela mata Atlântica – praia do Ribeira, no início da trilha para a Prainha – o parque Conduru Ecoturismo oferece vinte atividades entre escadas, falsa baiana e tirolesas.

As praias de Itacaré:

Praia da Costa

Pequena, com areia branca e solta e muitos coqueiros, a praia da Costa não é indicada pra banhos em função da correnteza. Sem infraestrutura e pouco movimento de banhistas, é procurada apenas para quem quer contemplar o visual.

Praia da Ribeira

Última praia central e acessível de carro pelo Caminho das Praias, Ribeira é emoldurada por Mata Atlântica, riozinho e muitas barracas que atraem famílias com crianças nos finais de semana e feriados. Para quem quer sossego, a dica é pegar a trilha e seguir para a paradisíaca Prainha (recomendável contratar guia).

Prainha

Cartão-postal de Itacaré, a Prainha é considerada uma das praias mais bonitas da Bahia – cercada de morros cobertos pela mata, exibe ainda um vasto coqueiral que se espalha pela larga faixa de areia. Escondida dentro de uma reserva particular, oferece boas ondas para o surf e apenas uma barraca. Para chegar até lá, não hesite em contratar um guia – a trilha tem bifurcações e inclui travessia de cachoeira. A caminhada dura 50 minutos, a partir da praia da Ribeira.

Itacarezinho

Longa e deserta, Itacarezinho é acompanhada por morros, coqueirais e recifes por toda a extensão. Ponto de desova de tartarugas, é procurada por surfistas que lá encontram estrutura de barracas e cascata de água doce. A trilha que leva à praia – depois de meia hora de caminhada – corta uma propriedade particular.

Praia do Resende

A um quilômetro do Centro – 20 minutos de caminhada -, a pequena enseada tem coqueiros, areia branca, piscinas naturais e boas ondas para o surf, atraindo banhistas e surfistas. Tranquila, tem barracas rústicas que servem petiscos e cerveja gelada. Aula de capoeira são comuns por ali.

São José

Pequena e sofisticada, a praia de São José fica em uma área de proteção ambiental contornada por hotéis e residências de luxo, areia branca e fininha, coqueiros, piscinas naturais, riacho e boas ondas. O acesso é por trilha íngreme (15 minutos a partir da Prainha). Outra opção é chegra pela estrada, mas o acesso é fechado por um condomínio residencial, que também abriga o Itacaré Eco Resort. Quem não é hóspede deve pagar taxa de day use para entrar por ali (Km 64 da Ilhéus-Itacaré – Condomínio Villas de São José).

Tiririca

Com ondas fortes, Tiririca é o mais tradicional point do surf de Itacaré, com movimento o ano inteiro. Pequenina e protegida por paredões de pedra – que formam uma espécie de arquibancada natural para curtir a paisagem – fica a menos de meia hora do Centro. Barracas simples dividem espaço com outras no estilo rústico-chic, que espalham esteiras e almofadões em uma área gramada. Tem uma pequena pista de skate.

Jeribucaçu

É considerada por muitos a mais bonita da cidade. Com acesso por trilha de 40 minutos, é também uma das mais desertas. Tem areia branquinha cercada por coqueiros e ondas fortes, boas para surf. No canto direito corre o Rio Jeribucaçu, que, na maré baixa, forma uma lagoa ótima para banho. Do lado esquerdo, barracas vendem bebidas e petiscos e montam guarda-sóis na areia. A trilha não é sinalizada e passa dentro de uma fazenda – contrate um guia. O estacionamento, no início do trajeto (acesso pelo km 60 da Ilhéus-Itacaré), é pago.

Havaizinho

Uma das melhores praias para a prática do surf em Itacaré, Havaizinho tem recifes, coqueiros e ondas fortes. As muitas pedras não incentivam o mergulho, mas vale a pena curtir o visual descortinado do alto de um mirante natural. Depois de deixar o carro no estacionamento pago (a partir da estrada), é preciso caminhar cerca de quinze minutos por trilhas para chegar à pequena praia cercada por costões de pedra e mata. Como a trilha não é sinalizada, melhor vir com guia.

Curtir o pôr do sol

No fim da tarde, a Ponta do Xaréu, no canto esquerdo da praia da Concha, exibe um belo pôr do sol.

Compartilhar: