简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Destinos Incríveis > Jaguaripe, a pérola do ecoturismo no Recôncavo Baiano

Jaguaripe, a pérola do ecoturismo no Recôncavo Baiano

Publicado em: 06/03/2019
Por: Adilson Fonsêca


Nas reentrâncias da Baía de Todos os santos e do Recôncavo Baiano escondem-se verdadeiros tesouros turísticos e ecológicos, que aos poucos vêm sendo descobertos por baianos e visitantes. Na foz de rios, entre o mar e o verde dos manguezais e da Mata Atlântica, a pequena cidade de Jaguaripe, a primeira vila do Recôncavo é uma espécie de pantanal baiano, uma pérola que vem sendo lapida pelos amantes do ecoturismo.

A cidade está a 239 quilômetros de Salvador, se o percurso for feito por terra, pela BR-324 e BR-101 até a cidade de Santo Antonio de Jesus. Mas pela travessia da Baía de Todos os Santos, o percurso diminui para menos de 100 quilômetros, atravessando toda a Ilha de Itaparica até chegar à vizinha cidade de Nazaré. Do entroncamento rodoviário até a cidade são 14 quilômetros de estrada sinuosa, onde já se pode ter uma noção do belo espetáculo da natureza.

A cidade está localizada entre o rio Jaguaripe e seu principal afluente, o rio da Dona, e o mar da Baia de Todos os Santos. O local é um dos principais habitat do peixe robalo e a região é formada por extensos manguezais de onde se retiram todo tipo de frutos do mar. Essa espécie de santuário ecológico possui praias de areia alva, riachos, remanescentes de Mata Atlântica, canais de mangue e porções de terras onde habitam pássaros, lobos, tamanduás, raposas, pacas, tatus e uma grande variedade de mariscos e peixes, resultado da mistura de águas doces e salgadas.

Pantanal salgado – Nessa mistura de água doce e salgada, a região de Jaguaribe recebeu o apelido de “Pantanal Baiano”, por causa da sua vasta extensão de manguezais praticamente intocada, com inúmeros corredores, igarapés e rotas alternativas de navegabilidade dentro do mangue. É um verdadeiro santuário composto de uma infinidade de rios, canais, manguezais, até praias de areia claríssima e muita Mata Atlântica.

Para os amantes da pesca artesanal, a diversão está garantida com as inúmeras espécimes de badejos, tainhas, robalos, sardinhas e linguados, carapebas e dentões, ente outros. O encontro da água salgada do mar com a água doce dos rios da região permite o crescimento de ostras nas margens dos afluentes do Rio Jaguaripe. Para os amantes das aves, vê-se muitas garças azul, o soco-dorminhoco, o gavião-do-mangue e a saracura-do-mangue.

Jaguaripe é um município grande, com predomínio da natureza. Privilegiada pela extensão, abriga fauna e flora remanescentes de Mata Atlântica, cachoeiras e rios que nascem e terminam dentro do seu território ou que correm direto para o mar. É vasta a quantidade de morros e vales de Jaguaripe, sem falar que é parte integrante da maior baía do Brasil, a Baía de Todos os Santos.

Ecoturismo – Por possuir matas e manguezais preservados, em Jaguaripe o turista aventureiro tem muito o que explorar. São trilhas que desembocam em cachoeiras, trilhas aquáticas que permitem uma boa pescaria e passeios de barco. E isso sem contar com o acervo histórico que permite ao visitante um aprendizado sobre o início da colonização brasileira e sua expansão para o interior, bem como a formação dos quilombos oriundos dos escravos que fugiam ou que se tornavam livres.

Para quem gosta do turismo e ao mesmo tempo praticar esportes, existem áreas para uma boa pedalada para explorar as terras de São Bernardo. Percorrer suas estradas de barros e trilhas contemplando a mata, os animais e como recompensa um bom banho nas águas do rio. Contudo, vale sempre ressaltar que é preciso o cuidado na preservação dessas trilhas e paisagens.

São Bernardo – O distrito abriga um verdadeiro reduto ecológico em meio a belas paisagens e cachoeiras, como a do Rio Tiriri e da Pancada Alta. O Tiriri desemboca no Rio Jaguaripe, formando grandes áreas alagadas, corredeiras e a cachoeira que leva o mesmo nome. Protegida pela mata, em um dos cenários mais verdes do Recôncavo, o local é reino da paz e tranqüilidade.

Escondida no fundo de um vale encoberto de mata nativa, quase inatingível pela luz solar, a Cachoeira da Pancada Alta é outro destino certo pra quem passa por Jaguaripe. O visitante pode optar por dois caminhos; o ponto de partida é o vilarejo de São Bernardo, distrito de Camaçandi, com direito às ruínas de engenho e da capela da antiga Fazenda São Bernardo, à margem do Rio da Dona. Seguindo pela margem direita, chega-se à cachoeira através de uma trilha leve, de curta duração, até o Sítio Nova Esperança.

Ilha das Garças: As margens do Rio Jaguaripe e Rio Leão, tomada pelo manguezal, abriga mais de quatro espécies de garças (pardas, bracas, rosas e outras) e mariscos.

Praia Pontalete: É um banco de areia formado pelo encontro do Rio Jaguaripe e Rio da Dona, propício para banho.

Jorro: Localizada na Rua Caio Vasconcelos Neto, em Cações. Possui fonte de água corrente, potável, muito usada por banhistas e lavadeiras.

Prainha do Rio Mucujó: É uma extensão do rio de águas rasas, quando o rio está cheio, alcança mais ou menos a 1m, quando está secando, fica com a altura de alguns centímetros. Propício para o banho no meio do rio.

Lagoa do tanque: Localizada dentro da Fazenda do Tanque

Compartilhar: