简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Destinos Incríveis > Bahia tem ilhas maravilhosas para turismo e lazer

Bahia tem ilhas maravilhosas para turismo e lazer

Publicado em: 28/05/2020
Por: Adilson Fonseca


Não poderia ser diferente. Um estado que tem 1.100 quilômetros de litoral (o maior do Brasil), que possui a maior baía (a de Todos os Santos), a maior extensão do Rio São Francisco, maior área de manguezais, falésias, estuários, oferece também a maior diversidade de ilhas oceânicas, de mar interior e fluviais.

De norte ao sul do estado, próximo ao litoral, mais afastadas ou na bacia dos principais rios, a natureza oferece paisagens exuberantes ao gosto calmo do rio ou às ondas do mar. Muitas delas, como no interior da Baía de Todos os Santos, guardam ruínas seculares do Brasil Colônia, que contam um pouco da nossa história, e cultura.

Somente na Baía de Todos os Santos contam-se às dezenas, outras tantas na Baía de Camamu (a terceira maior do Brasil) e ao longo do litoral e na Bacia do Rio São Francisco, outras tantas. Listamos algumas que podem ser visitadas para quem quiser se aventurar a fazer turismo pelo interior da Bahia. Com certeza, o roteiro vai lhe surpreender.

Balneário das Ilhas – Situado às margens do Rio Piau, no município de Valença, no Baixo Sul do Estado, tem acesso por passarelas de madeira sobre o rio. O local é ótimo para banho e pesca. Um bar e um restaurante funcionam na pequena ilha fluvial do Conde. Para chegar ao local é preciso seguir em direção à rodovia BA-542; percorrer aproximadamente 8 km, até chegar a uma estrada de barro que vai até o local. Localizadas em área particular, a visitação é permitida desde que os alimentos e bebidas consumidos sejam comprados no local.

Ilha da Fantasia – Está localizada no Rio São Francisco, no meio do Lago do Sobradinho, com enormes dunas e ampla vista panorâmica. O acesso para visitas é livre. O local conta com um restaurante e barracas. O acesso é feito a partir dos municípios de Remanso ou Casa Nova, no Norte do estado.


Ilha das Fontes
– Famosa pelas inúmeras fontes espalhadas por toda a sua extensão – daí o seu nome – a Ilha das Fontes fica situada a cerca de 5 quilômetros da cidade de São Francisco do Conde, no Recôncavo Baiano. É considerada a melhor água das redondezas, e suas fontes são tidas como as maiores. A ilha abriga, ainda, as ruínas de um antigo engenho. É de propriedade de um grupo de lavradores, mas a visitação é pública.

Ilhas das Garças e Atalaia – Tem 17 quilômetros de praias, coqueirais, reservas de Mata Atlântica e manguezais, e estão localizadas no município de Canavieiras, no Sul do Estado, próximo a Ilhéus. Estão entre o mar e o Rio Pardo, juntamente com outras cinco ilhas. Santuário ecológico, reduto das garças brancas que recortam o céu azul ao pôr do sol, a ilha atrai grande número de visitantes em busca da famosa lama negra medicinal, de propriedades terapêuticas. Paraíso do surfe e da pesca, a ilha do Atalaia conta com uma infraestrutura completa de hotéis, pousadas, bares e restaurantes. Está ligada ao município por uma ponte.

Ilhas de Âmbar e Papagaio – Na Bacia de Camamu, Baixo Sul do Estado. Possuem extenso manguezal que contrastam com belas praias de águas calmas, areia branca e vasto coqueiral na Ilha de Âmbar. Apenas na praia de Pontal do Contrato há uma pequena vila de pescadores; as outras duas – Ponta do Santo e Tubarão – são desertas. As ilhas integram a Área de Preservação Ambiental de Pratigi e servem como elemento de separação entre a Baía de Camamu e o Canal do Serinhaém. Fica a 15 km de distância de Ituberá e a 12 km de Camamu.

Ilha de Boipeba – Um dos destinos mais visitados pelos turistas durante o verão, entre a Península de Maraú, Valença e Morro de São Paulo faz parte do Arquipélago de Tinharé. Está no meio da Mata Atlântica, e por isso oferece variadas opções de trilhas ecológicas. Tem os povoados de Velha Boipeba, Moreré e São Sebastião (conhecido como Cova da Onça). Em Velha Boipeba, está situada a Matriz do Divino Espírito Santo, datada do início do séc. XVII. Em São Sebastião, destaca-se a Igreja de São Sebastião, do início do séc. XX.

Ilha de Bom Jesus dos Passos – Pertence ao município de Salvador, capital, e fica em meio a manguezais e floresta densa, próxima a outra ilha bem frequentada por turistas, a dos Frades. O mar, de um vasto azul e águas calmas, é ideal para pesca e para a prática de esportes náuticos. Pontinha e Ponte do Padre são as praias mais procuradas para banho. A Ilha também dispõe de uma ampla área, ótima para camping.

Ilha Cajaíba – No interior da Baía de Todos os Santos. São oito quilômetros de extensão, separados do continente por um canal. Além das belezas naturais, incluindo uma praia particular na contra costa, a ilha é reduto da História Nacional, remontando aos tempos áureos da nobreza açucareira. A Ilha já foi residência oficial de nomes ilustres, como o 3º Governador Geral do Brasil, Mem de Sá, e o historiador e precursor do movimento bandeirante no estado, Gabriel Soares, além do Barão de Cajaíba, comandante da Sabinada

Ilha de Pedra Furada – Na Baía de Camamu, terceira maior do Brasil e a mais profunda, a ´paisagem oferece manguezais, matas, grandes rochas e praias tranquilas de um mar azul estonteante. Apesar de ser uma propriedade particular, a visitação é aberta ao público que, no período da alta estação, pode também desfrutar das iguarias locais no restaurante montado especialmente para atender os visitantes.

Ilha de Maré – Pertence a Salvador e fica a 15 minutos da Praia de São Thomé de Paripe, nos limites da capital. Possui uma vasta extensão de Mata Atlântica, que divide a paisagem com mangueiras, coqueirais e a tradicional cana brava – matéria-prima para o artesanato local. O lugar possui praias de areias alvas, como a de Nossa Senhora das Neves, e manguezais, que na maré baixa forma pequenas piscinas, como Botelho. Possui boas opções para o ecoturismo, com banhos de mar, trilha tropical e esportes. E culturais, como as igrejas de Senhora Santana, datada do século XIX, e Nossa Senhora das Neves, do séc. XVI.

Paulo Afonso e Urubu – O município de Paulo Afonso, sede do Complexo Hidroelétrico do São Francisco, no Extremo Norte do estado é, na verdade, uma ilha artificial com mais de 1.000 km² de área. Na época de cheia do São Francisco, pode-se observar diversas cachoeiras em meio a grandes canyons, a ilha se separa do Continente pelo canal que abastece o reservatório da Usina Hidrelétrica de Paulo Afonso. A Ilha do Urubu é outro reduto paradisíaco integrado à cidade. Mirantes ao redor dos seus enormes paredões rochosos, envoltos por jardins ornamentais de rosas, avencas e grandes árvores, contemplam o visitante com uma vista privilegiada das quedas d’águas das barragens e usinas hidrelétricas.

Ilha/Arquipélago de Tinharé – São 400 km², que abrigam os povoados de Morro de São Paulo, Garapuá, Gamboa e Galeão. A diversificada natureza local conserva trechos de Mata Atlântica em contraste com o extenso manguezal. A paisagem conta, ainda, com morros, restingas, coqueirais e belas praias desertas de mar e de rio. É proibido automóveis na ilha, o que garante a preservação da natureza e o ar puro que domina todo o local. O visitante pode viajar na história baiana; a ilha abriga um forte, datado de 1630, quando serviu como ponto de defesa de Salvador e do Recôncavo Baiano. Em Morro de São Paulo, uma singela capela com invocação a Nossa Senhora da Luz e, em Galeão, a Igreja de São Francisco Xavier conservam a arquitetura do século XVII.

Ilha do Medo – Bem no Centro da Baía de Todos os Santos, é a primeira Estação Ecológica da Baía de Todos os Santos, tombada oficialmente por lei municipal em 1991. É envolta por mistérios, a começar pelo próprio nome. Reza a lenda que o lugar foi assim batizado porque ficou assombrado após abrigar um asilo para onde eram levados doentes terminais de lepra e cólera-morbo. Uma outra lenda conta que um padre da comarca de Itaparica teria recebido dinheiro para celebrar missa e não o fez. Após sua morte, sua alma passou a residir na ilha, convidando os pescadores que passavam pelo local para assistir à celebração da tal missa.

Ilhas do Pirata e Asa Pequena – No Litoral de Porto Seguro, Extremo Sul da Bahia. Formam um centro de lazer temático que combina preservação da natureza e da biodiversidade marinha com uma superestrutura de lazer noturno, seguindo as exigências de preservação ambiental. São quatro aquários suspensos ao ar livre, repletos das mais variadas espécies de peixes, recifes de corais e esponjas. Situada no Rio Buranhém, o acesso é feito exclusivamente por barco.

Ilha do Paraíso – No Extremo Sul do estado, no lado oposto a Porto Seguro, entre Santa Cruz Cabrália e Belmonte, e entre o Rio João de Tiba e o mar. Possui imensos e surpreendentes manguezais, praias e coqueirais em um reduto ecológico ideal para pesca e caminhadas, além de um gostoso banho de rio. A Ilha guarda uma curiosidade: um engraçado coqueiro em formato diferente, o que lhe rendeu o apelido de “coqueiro erótico”. Na maré baixa, uma surpresa extra para o visitante: o “lamarão”, uma prainha de areia. A maior ilha na foz do João de Tiba, Paraíso pertence a uma mesma família desde 1946.

Ilhas de Ilhéus – Berço do cacau e do escritor Jorge Amado, o município oferece essa surpresa a quem o visita: as ilhas de Itapitanga, Pedra do Rapa e Pedras de Ilhéus, ilhas marítimas praticamente inexploradas e, por isso mesmo, de natureza exuberante e plena. Já Mutucujê e Frade são ilhas fluviais, no estuário do Rio Cachoeira, no extremo oeste da cidade. Cutiatã, Cobras e Bacuparituba são ilhas lacustres situadas na Lagoa Encantada, no distrito de Castelo Novo.

Ilhas de Juazeiro – No lado oposto, ajuzante (após a barragem) de Sobradinho, no Norte do Estado, foram formadas no leito do Rio São Francisco. Uma das mais belas, sem dúvida, é a Ilha do Fogo, na divisa entre Pernambuco e Bahia. Possui uma vasta área praiana plana, iluminada pelo cruzeiro no alto de um morro de 20 metros. É aberta a visitação de segunda-feira a domingo, das 9 às 18 horas. Já a Ilha do Rodeadouro é de águas tranqüilas e frias em meio ao alvo areal. Há trechos de praias desertas, ótimas para camping, e resquícios da vegetação de caatinga. A Ilha de Nossa Senhora das Gotas encanta pela bela paisagem: praias de águas cristalinas e areias brancas em meio a mangueiras e cajueiros. Para os enamorados, a pedida é a Ilha do Masssango, onde os luais duram até o raiar do sol. Deserta e ideal para camping selvagem, a Ilha Culpe o Vento.

Ilhas de Nova Viçosa– Na chamada Costa das Baleis, no extremo Sul da Bahia, possuem várias extensões de mangues e Floresta Atlântica, rios e mar, que formaram ilhas envoltas pela natureza em ótimo estado de preservação. Deserta, a região de Recife de São Sebastião Gomes é repleta de belas paisagens submarinas, que se abrem por debaixo das suas águas incrivelmente transparentes. A Ilha Cassumba possui variados ecossistemas: o extenso manguezal predomina entre restingas, vegetação de cerrado, recifes de coral e Mata Atlântica, com fauna e flora bem variadas A Ilha de Barra Velha é formada por manguezais, restingas e Mata Atlântica. O acesso é feito pelo Rio Peruípe. Um farol da Marinha sinaliza o local exato do Pontal, de onde se avista a Coroa Vermelha, uma ilhota

Compartilhar: