简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Destinos Incríveis > Casa do Carnaval antecipa a Folia para baianos e turistas

Casa do Carnaval antecipa a Folia para baianos e turistas

Publicado em: 18/01/2019
Por: Adilson Fonsêca


O Carnaval em Salvador só começa no final de fevereiro e vai até a manhã do dia 06 de março, mas no Centro Histórico, a folia pode ser antecipada não com, as festas de rua, que já acontecem com os ensaios de blocos e bandas, mas com imagens, história e as performances de artistas e grupos que fazem dessa festa a maior do Brasil.

Na Casa do Carnaval da Bahia, um museu que foi inaugurado no ano passado, que fica na entrada do Pelourinho, atrás da Catedral Basílica de Salvador, o clipe “Chamando Gente” e ouvir a música “Chame Gente”, de Moraes Moreira, que são exibidos para os visitantes, remete à própria história do carnaval de rua de Salvador. O vídeo resume o que é o Carnaval de Salvador, e permite que muitos que chegam à cidade pela primeira vez possam conhecer a festa com mais detalhes, seus artistas, e suas músicas, em manifestações culturais que à cada ano se renova.

Assim como os turistas, a Casa do Carnaval também é uma atração entre os próprios baianos, que quando vão ao Pelourinho, que além de aproveitarem para conhecer mais detalhes da rica cultura e arquitetura da região, que se fazem presente nos casarões que abrigam ateliês, lojas, centros culturais, bares, restaurantes e pousadas, incluem nos seus roteiros uma passada no primeiro museu dedicado exclusivamente à maior festa de rua do planeta.

Prestes a completar um ano de funcionamento, o espaço recebeu já 14.270 visitantes pagantes entre março e dezembro do ano passado. Desse montante, 9.222 pessoas que frequentaram o local foram da capital baiana, 2.985 vieram de outros estados brasileiros e mais 2.063 foram turistas estrangeiros. O quantitativo cresce ainda mais quando somado com as 3.375 pessoas que visitaram o equipamento no mês da inauguração, em fevereiro de 2018, quando a entrada foi gratuita.

A interatividade com a história do Carnaval, viabilizada por meio de diversos recursos de áudio e multimídia espalhados nos pavimentos, chamam, a atenção dos visitantes, pelo ineditismo da obra. O sucesso é tanto que com apenas 10 meses de funcionamento, a Casa do Carnaval chegou a ser reconhecida nacionalmente e ficou em segundo lugar na categoria “Valorização do Patrimônio pelo Turismo”, durante a primeira edição do Prêmio Nacional de Turismo, realizada no Rio de Janeiro, em dezembro passado.

Conheça, sinta e ouça – No andar térreo do prédio da Casa do Carnaval da Bahia, é possível encontrar à disposição uma biblioteca de livros relacionados à festa, a Salvador, suas artes e tradições. Ainda neste piso, as salas da Criatividade e dos Ritmos do Carnaval da Bahia apresentam a diversidade presente no Carnaval baiano. Há também 200 bonecos feitos de cerâmica que representam figuras típicas da folia. Com luzes, refletores e fitas de LED, a proposta do espaço é remeter à vibração da festa. Ao som de músicas características da folia, o visitante tem acesso a diversas vitrines com objetos pessoais e inéditos cedidos por artistas, tais como vestuário, adereços e instrumentos.

Já no primeiro andar ficam as duas salas do Cinema Interativo, onde o visitante escolhe um adereço disponível para caracterização, assiste uma seleção de três vídeos e é estimulado a dançar as coreografias de blocos e bandas, orientados por monitores dançarinos. O objetivo é possibilitar uma experiência única e emocionante como bem manda a magia da música e dos ritmos do Carnaval da Bahia.

Venha visitar – Administrada pela Secult, a Casa do Carnaval foi inaugurada em 5 de fevereiro de 2018, com investimento de cerca de R$ 6 milhões. Antes, o imóvel abrigava a antiga Casa do Frontispício, e foi restaurado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para receber o museu. A curadoria do projeto é do artista, designer e cenógrafo Gringo Cardia, juntamente com o professor doutor em Cultura Contemporânea e vice-reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Paulo Miguez, além de um grupo de artistas e pesquisadores como Jonga Cunha e Bete Capinan. As visitações podem ser feitas de terça a domingo, das 11h às 19h.

Compartilhar: