简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Destinos Incríveis > Casa do Carnaval: para se conhecer a origem desta festa

Casa do Carnaval: para se conhecer a origem desta festa

Publicado em: 15/02/2020
Por: Adilson Fonseca


O Carnaval está chegando e que tal conhecer um pouco da história dessa festa… Em pouco mais de um ano, a Casa do Carnaval se tornou um dos pontos quase que obrigatórios para os turistas que visitam Salvador no verão. Localizada na Praça da Sé, defronte ao Plano Inclinado, e ao lado da Catedral Basílica, ela oferece um vasto acervo que revela as origens do carnaval e como a festa em Salvador se tornou a maior manifestação cultural pública do planeta.

Nesse período, desde a sua inauguração, já são mais de 40 mil visitas, de baianos e turistas, com o acervo que vem encantando o público, agora com mais peças de exposição. O museu funciona em um imóvel que data de 1921, conhecido anteriormente como a Casa do Fronstispício – tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A Prefeitura investiu cerca de R$ 6 milhões para a implantação do museu.

São quatro vídeos, sendo um deles um curta metragem sobre os “Irmãos Macêdo” e outro sobre Moraes Moreira, considerado o primeiro cantor de trio. Além disso, compõem as novidades produções que destacam a estética dos carros de trio, a história do Carnaval, a obra de Riachão, além dos depoimentos e histórias de Orlando Tapajós e análises dos pesquisadores Paulo Miguez e Milton Moura.

Reconhecimento – Quem visitar o local terá oportunidade de assistir ao vídeo “Irmãos Macêdo”, com duração de 15 minutos, retrata a história dos fundadores do trio elétrico Dodô e Osmar, além de apresentar a família, através dos depoimentos de Armandinho, Aroldo, André e Betinho. O material destaca a importância desta família para o Carnaval da Bahia contemporâneo, com a eletrificação da música.

Nos 17 minutos do curta em homenagem a “Moraes Moreira”, o artista é exaltado como o primeiro cantor a subir em um trio elétrico. Já o filme que retrata “O visual do Carnaval” tem duração de 30 minutos e traz uma roda de conversa entre os grandes responsáveis pela estética do carnaval: Juarez Paraíso, Jotta Cunha, Pedrinho da Rocha, Alberto Pitta e Ray Viana.

Tudo isso já pertence ao acervo histórico presente no ambiente, que é composto por adereços, instrumentos musicais, figurinos usados por grandes nomes da música baiana, miniaturas de personagens como o folião, o ambulante, a baiana do acarajé e os músicos que fazem a festa, vídeos sobre a folia contada pelos artistas e muitos outros atrativos. A Casa do Carnaval já recebeu o segundo lugar do Prêmio Nacional de Turismo, na categoria “Valorização do Patrimônio pelo Turismo”.

Compartilhar: