简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Destinos Incríveis > Nessa terra mágica, a cozinha é só mais uma atração. Hummm!

Nessa terra mágica, a cozinha é só mais uma atração. Hummm!

Publicado em: 02/01/2021
Por: Adilson Fonsêca


Uma cidade que tem mais de 50 quilômetros de praias, divididas em três tipos de orla – Oceânica, Baía de Todos os Santos e do Subúrbio -, que tem uma efervescência cultural diversa, uma ancestralidade étnica que faz do seu povo uma mistura de raças, um sincretismo religioso que une todas as religiões e credos, tem mais um ingrediente que torna Salvador um dos destinos mais procurados pelos turistas: a sua culinária.

Em Salvador, e por extensão na Bahia, o segredo da culinária está em receitas sofisticadas, de tradição européia, mas na mistura da ancestralidade herdada pelos antigos escravos africanos, com a cultura dos povos indígenas e o que foi trazido pelos antiga colonizadores portugueses, franceses e holandeses que estiveram no Brasil durante o período colonial. O resultado disso é a Comida Baiana, uma rotulagem que expressa bem essa gastronomia que surpreende a todos.

Na Bahia, a união dos saberes africanos, indígenas e portugueses deu origem a pratos divinos, passados de geração em geração, como a moqueca, o acarajé, o caruru, o vatapá e o bobó. Alimentos como esses são responsáveis pelo resultado do recente levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo do Estado da Bahia, que aponta a gastronomia como um dos cinco motivos de busca e preferência por Salvador para o turismo.

Este ano, a pesquisa que norteia as estratégias de atração para a capital baiana foi realizada nos meses de janeiro, maio e setembro. O primeiro motivo de preferência pela cidade, apontado pelos visitantes foi a característica sol e praia, seguida por história e cultura, esportes náuticos, cidade da música e, por fim, gastronomia. Essas opções foram as respostas para o seguinte questionamento: o que te levou a procurar ou ter referência de Salvador?

Cozinha Raiz – Para estimular o desenvolvimento da culinária local, a Secult lançou recentemente o Desafio Cozinha Raiz e o Selo Gastronômico. Integrante do Salvador 360, eixo Cidade Criativa, o Desafio Cozinha Raiz é uma série exibida pela internet, por meio da qual chefs renomados da culinária de raiz soteropolitana, convidam influenciadores digitais com pouco ou nenhum jeito na cozinha para preparar pratos famosos. A websérie já registrou mais de 1,7 milhão de visualizações. Ao todo, são quatro desafios.

Culinária da Bahia – Ela é mais conhecida em Salvador e no Recôncavo Baiano e em todo o litoral da Bahia. É praticamente feita à base de pratos de origem africana, com uma forte influência indígena, que assume um toque diferenciado dado pelos baianos com um tempero mais forte e um uso farto de de azeite de dendê, leite de coco, gengibre, pimenta de várias qualidade s e muitos outros que não são utilizados nos demais estados do Brasil. Até mesmo a farinha de mandioca, assume uma característica diferente na Bahia, chamada de “Copioba”, por ser mais torrada e fina.

As iguarias dessa vertente africana e indígena, não raro mesclada com sabores portugueses, europeus e mediterrâneos da culinária misturam-se a hábitos locais, como o fato da maioria dos restaurantes reservarem as sextas-feiras , p como o dia típico da “Comida Baiana”, e também associarem a gastronomia aos festejos religiosos sincréticos.

No dia a dia, o baiano alimenta-se dos pratos herdados da vertente portuguesa, englobados no que se costuma chamar de “culinária sertaneja”. São receitas que não levam o dendê e demais ingredientes típicos de origem africana, como ensopados, guisados e várias iguarias. Na Bahia, contudo, predomina o lado “afro-baiana”, que se deve ao fato de ter sido Salvador, a primeira capital do Brasil e a principal porta de entrada dos antigos escravos africanos, e da cidade estar situada na entrada da Baía de Todos os Santos.

Só se vê na Bahia

A culinária baiana é única no Brasil e a maioria dos seus partos só é encontrado no Estado, principalmente em Salvador, Recôncavo Baiano e ao longo do litoral . São pratos típicos ou herdados, com raízes resultante das influências africanas e indígenas ao longo do tempo.

Eis algumas dos principais: Abará, Acarajé, Arrumadinho, Bobó de camarão, Caldinho de sururu, Caranguejo, Caruru, Casquinha de siri, Cozido (com diversas verduras, raízes e legumes cozidos junto com carnes e defumados), Dobradinha, Efó, Escondidinho (carne do sol acebolada e pirão de aipim), Feijão de leite, Frigideira de siri catado, Farofa de banana, Farofa de dendê, Feijão fradinho, Feijoada (com feijão mulatinho), Fritada (carne do sol, cebola, ovos, fritos juntos), Galinha ao molho pardo, Lambreta, Maniçoba, Mariscada, Mocotó, Moqueca de aratu, Moqueca de peixe, Moqueca de camarão, Moqueca de maturi, Passarinha, Petitinga frita (isca de peixe), Quiabada, Rabada, Sarapatel,Xinxim de galinha ou de bofe bovino.

Compartilhar: