简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Destinos Incríveis > Quer fazer um trekking? Vá ao Vale do Pati

Quer fazer um trekking? Vá ao Vale do Pati

Publicado em: 01/09/2020
Por: Adilson Fonsêca


Cansou de praias, de agito nas baladas, dos cenários urbanos?. Então pegue sua mochila, junte alguns trecos e vá curtir a natureza, unindo o útil (o exercício físico com uma boa caminhada) com o agradável (a beleza deslumbrante da natureza no seu bestado primitivo). E não precisa ir tão longe quando vir à Bahia.

A Chapada Diamantina está a pouco mais de 400 quilômetros da capital e o seu acesso pode ser feito em poucas horas de carro em estradas bem conservadas. Mas ao chegar lá, esqueça o automóvel, o terno e a gravata, e vá fazer um trekking (caminhada) por mundo até então desconhecido para você, ou só vistos em fotografias e vídeos. O vale do Pati está à espera.

E lá você vai encontrar o trekking mais cênicos do Brasil, que pode durar (a depender do pacote, com guia) de três a cinco dias, variando de 40 a 75 quilômetros, começando de qualquer uma das cidades da região – Mucugê, Lençóis, Andaraí, Palmeiras.

A Chapada Diamantina pode ser visitada em qualquer época do ano, o que lhe permite ser um lugar que agrade a todos os gostos, do calor intenso do verão, quando, ao frio de 10 graus no inverno. Mas em qualquer época, sua beleza é inigualável. A época seca vai de abril a outubro, e a estação das chuvas é de novembro a março.
Como chegar
Para chegar ao Vale do Pati há vários caminhos. Dependendo da sua escolha você passará por atrativos diferentes e terá níveis de dificuldades diferentes. As principais rotas saem do Capão, Andaraí ou Guiné. Sua base de estadia pode ser qualquer uma das cidades – |MJucugê, lençóis, Palmeiras ou Andaraí.

Onde se hospedar

O vale é rústico e lá dentro do vale existem famílias que recebem turistas com uma estrutura simples, mas super aconchegante. Lá você encontra camas confortáveis, comida caseira, ducha, água fresca e até eletricidade (proveniente de captação solar).

Guias e agências de turismo

Chegar ao vale não é tarefa para amadores. Todas as trilhas são de difícil acesso e por isso mesmo, é importante a contratação de um guia para acompanhá-lo no trajeto. Além de conhecerem o caminho, eles dão uma mão em caso de pequenos acidentes e de perigos do caminho. As agências de turismos dão todos esses suportes nas cidades da região.

O que levar

Não pense que vai a comodidade dos centros urbanos.Lá o que você vai precisar é de uma mochila devidamente equipada:Mochila de ataque de 30-40l (com capa de chuva); Tênis ou bota de caminhada confortável; Roupas leves com proteção UV; Meias extras; Toalha de secagem rápida para o pós-mergulho nas cachoeiras; Capa de chuva; Chapéu ou boné; Óculos de sol; Lanterna; Câmera fotográfica; reservatório de água com mangueirinha; Itens de higiene pessoal em tamanho mini e uma sacola para guardar o lixo, que a Chapada não é lugar de se jogar lixo à toa.

Compartilhar: