简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Sem categoria > Beach Park, a Bahia merecia ter um parque assim

Beach Park, a Bahia merecia ter um parque assim

Publicado em: 10/11/2017


Semana passada, numa roda de amigos a falar de destinos de férias no Brasil, ouvi de um deles um depoimento interessante: “perguntei ao meu neto de 9 anos onde ele gostaria de passar o aniversário, se na Disney ou no Beach Park? E a resposta veio instantânea: no Beach Park”.
Espantado? Calma que você vai entender. Essa poderia ser mais uma das muitas histórias que ajudam a contar o que é esse parque aquático, o maior da América Latina, que nasceu há 30 anos de uma barraca de praia, em Porto das Dunas, a 27 km de Fortaleza, e hoje é um gigantesco complexo de entretenimento.
O Beach Park é assim mesmo, seduz, encanta, fascina. Enfeitiça baixinhos e altinhos. Tanto assim que o parque hoje é só um detalhe. Ele virou um destino, uma referência em termos de turismo no Ceará, com seus brinquedos aquáticos, projetados para todos os gostos e idades, e tudo que gira no seu entorno.


Daí, não ser exagero dizer que um em cada 3 turistas que desembarcam na capital cearense tem esse encantador parque como destino e, hoje, sua rica rede hoteleira como pouso.
Mas não é só isso. Se você vai de férias, quer paz e tranquilidade, segurança, acima de tudo, principalmente para a garotada, relaxe. Nisso o Beach Park se supera, e isso não tem preço.
Foi por dedicar uma atenção especial ao item segurança que o complexo ganhou o Certificado Americano em Salvamento Aquático, com licença internacional disponibilizado pela companhia Jeff & Ellis Associates, dos Estados Unidos, e o Selo ISO22.000 de segurança alimentar. Isso a se somar ao selo ISO 14.001, de gestão ambiental.
Os salva-vidas nas piscinas e brinquedos aquáticos estão atentos a cada detalhe e às vezes parecem estar procurando uma pepita de ouro ou um diamante no fundo da piscina tamanha a concentração e foco no que fazem.
Na verdade, estão procurando algo bem mais valioso: a vida de uma criança ou mesmo de um adulto, de um idoso, afinal acidentes ou afogamentos podem acontecer em qualquer lugar. Um desmaio, até um AVC.


E pensar que tudo começou em 1985, a partir de um restaurante erguido na beira do mar, na bucólica Porto das Dunas. A praia já seduzia por suas areias brancas, águas mornas e um azul esverdeado que parecia querer fisgar quem por lá chegava.
Era como se Yemanjá lá estivesse para convidar a um mergulho e dizem que quem dava o primeiro, voltava sempre. Com o parque é exatamente assim, quem vai uma vez quer voltar sempre. Será que Yemanjá andou passando por lá também?
Virando a página da história, o primeiro brinquedo aquático foi inaugurado em 1988. Um ano depois nascia o ainda modesto Beach Park, com três toboáguas, e assim esse parque encantado foi dando seus primeiros passos.
Ainda em 1989, a área da praia ganhou novas atrações, com o Portal da Praia, o Museu da Jangada, o Caminho de Garrafas, o Largo do Peixe, a Cascata da Sereia, tornando o local uma referência na bela costa cearense. E não parou mais de crescer.
Hoje são 18 grandes atrações entre radicais – aqueles de perder o fôlego e dar um friozinho na barriga – aos moderados e para a família, onde as três gerações se divertem juntas.
Foi assim que o ano passado ele superou a marca de um milhão de visitantes, com a inauguração do brinquedo Vaikuntudo, maior toboágua na categoria tornado 60. Nada mais justo, portanto, que este ano ele fosse eleito o 2º melhor parque aquático do mundo e o melhor da América Latina pelos usuários do TripAdvisor.
Algo que reflete uma gestão altamente profissional, comandada pelo CEO Murilo Pascoal. Ele consegue ter olhos voltados para tudo – e põe olhos nisso! -, dada a dimensão que o grande complexo de lazer e entretenimento ganhou.
Só o exército de colaboradores já bastaria para mostrar o gigante a ser capitaneado. São 2.559 funcionários fixos e mais de 300 temporários, na alta estação, fazendo do complexo Beach Park mais que uma referência: um destino de férias dos mais concorridos do país.


Sob seu comando hoje estão o Beach Park Suítes Resort, com 175 suítes de padrão internacional, o Centro de Convenções, para atender ao ramo acadêmico e de negócios, o parque aquático, o Aqua Park, dois outros resorts, um hotel, dois restaurantes (Restaurante de Praia e Coqueiral Bar e Restaurante) e a Vila Azul do Mar – um aconchegante espaço de convivência e serviços, que fervilha à noite. E não para por aí.
Para atender as diversas demandas, o empreendimento possui ainda a Rádio Beach Park; a Revista Onda Beach Park, o Beach Park Studios – estúdio de animação próprio; a Bentvi Mídia, focada em Mídia Digital Out Of Home (MDOOH), e a multiplataforma de conteúdo Vós.
Mas parecia faltar algo e Murilo e sua equipe foram buscar: o Ceará Show, primeiro espetáculo musical permanente no estado do Ceará, um show imperdível. Mais que a música e o humor que transitam de mãos dadas em hora e meia de espetáculo, a emoção domina boa parte da cena.
É como se essa coisa nossa chamada baianidade fosse transportada para o Ceará, incorporada num elenco de jovens e veteranos talentos. Imperdível!

Na beira do mar, bares incríveis

Para quem quer saber um pouco mais sobre o lugar, o Beach Park está em Aquiraz, que foi a primeira capital do Ceará, e por isso guarda no seu entorno uma rica história. São monumentos de importância cultural, ruínas dos jesuítas, belos casarões, um Mercado Velho, a Igreja da Matriz e um sem número de outras obras arquitetônicas.
Dunas brancas, que se deixam banhar por um mar azul de águas claras e limpas, emolduram a paisagem como se a querer abraçar o visitante. Aquiraz tem 36 km de praias, cada uma mais bela que a outra, mas Porto das Dunas parece especial. De toda forma, se você quer estender o passeio, tem ainda Prainha, Iguape, Praia do Presídio, Barro Preto e Batoque, isso para falar só das mais famosas.


Uma das novidades do Porto das Dunas são os novos bares localizados na praia do Beach Park. O Bar do Mar do Oceani Beach Park Hotel é um deles, um espaço daqueles para você relaxar e só retomar a rotina no dia seguinte.
Seus quatro lounges abrigam apresentações musicais ao vivo e cardápio variado de frutos do mar, carnes e aves, drinks especiais, como coquetéis de frutas, cervejas e espumantes, tudo de frente pro mar. E para quem gosta do pé na areia, a outra opção é comer e beber no Bar da Praia, que oferece um cardápio variado, mas sempre tendo os frutos do mar como carro-chefe.
Aliás, por falar em chef, é por lá que anda o francês Bernard Twardy, com sua voz mansa, a comandar um exército de cozinheiros e ajudantes que prepara cerca de 5 toneladas de comida diariamente para saciar os mais variados paladares de cerca de 8 mil pessoas.
Bernard parecia reviver as aventuras das caravelas de Cabral ao descobrir o Brasil, quando por aqui aportou em terras cearenses, num veleiro, há um quarto de século. Gostou tanto do lugar que não quis mais ir embora. Fez um bem danado a todos nós.
Suas receitas e pratos são de dar água na boca. E pode arriscar até um simples caranguejo e você vai descobrir que nunca saboreou outro igual. O segredo? Huumm… Só uma parte. Vem do transporte deles, soltos em caixas especiais, umedecidas, em lugar daquelas cordas que sacrificam até 30% deles na viagem, e de uma receita aprendida com antigas marisqueiras lá mesmo da região.


Bom, se a opção inclui hospedagem, ficar num dos hotéis do complexo é um sonho. Num deles você parece viver um conto de fadas. Descendo até a piscina, você embarca numa boia que lhe leva mansamente até o Beach Park por um canal exclusivo. O relaxante passeio parece proposital para que você reserve todas as energias para o parque. Lá, seu acesso é privativo e sem filas. Um luxo!
Mas se o orçamento estiver um pouco mais apertado, você pode ficar num dos muitos hotéis e pousadas de Fortaleza, que fica a 27 km, e se jogar no famoso ‘bate e volta’. Com isso, a noite é na capital, com direito a um delicioso passeio pela feirinha da Beira Mar ou a um show do genial Ciro Santos, todas as quintas, no Chico do Caranguejo.


Nesses casos, há duas opções. Uma é adquirir o Day Use do Oceani Beach Park Hotel, que permite ao visitante usufruir de toda a estrutura do hotel sem precisar se hospedar.
Mas para quem vai com foco só no parque, é só acertar os ponteiros do relógio. As atrações estão abertas das 11 às 17 horas, e custam: adulto – R$215,00 / Criança R$205,00*, crianças abaixo de 12 anos (Crianças com menos de 1m não pagam). Com certeza vale a pena, e melhor ainda se você tiver uma semaninha para curtir esse paraíso. Aí o preço do Pacote de 3 dias fica em R$330,00 e de 7 dias, R$ 360,00 ou R$ 52 por dia.

Compartilhar: