简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Destinos Incríveis > Solar Amado Bahia é um convite à história e à cultura

Solar Amado Bahia é um convite à história e à cultura

Publicado em: 06/06/2019
Por: Adilson Fonsêca


Não é apenas um casarão antigo restaurado para visitação pública. Entre paredes de azulejos portugueses gradis em ferro fundido trazidos da Inglaterra, a imponência dos três andares avarandados com vistas para a Enseada dos Tainheiros, estão simplesmente boa parte da história da aristocracia baiana, despertando a curiosidade de quem visita o local e surpreendendo os próprios baianos, que durante anos ficou a imaginar histórias que por ali se desenrolaram.

O Solar Amado Bahia, reaberto depois de várias décadas fechado, localizado na Avenida Porto dos Tainheiros, em um dos lugares mais belos Salvador, na Península do bairro da Ribeira, Cidade Baixa, é uma espécie de xodó de metade da Bahia. Isso porque, por traz do seu fastio das suas instalações arquitetônicas, até pouco tempo inacessíveis ao público, existem inúmeras histórias de pessoas que tinham o sonho de entrar neste Solar.

Agora, completamente restaurado, depois de décadas de abandono que quase levaram à destruição do local, essa hora chegou. O local está aberto e cheio de novidades. O Solar Amado Bahia foi completamente restaurado pela empresa Sorvetes Real e agora abriga um “museu do sorvete”, com referências históricas e lúdicas à fabricação de sorvetes, além de se propor a receber eventos e exposições. No mesmo complexo, na parte anexa, há uma sorveteria, uma lojinha conceito e ainda um espaço kids bem legal.

Mais de um século – Com mais de 114 anos, o Solar Amado Bahia foi construído e esculpido artesanalmente, com um projeto colonial de arquitetura eclética. Tem 52 cômodos, mais de 107 portas e uma profusão de cores, estilos e formas, tendo, em quase todos os cômodos, paredes em escaiolas (pintura que imita mármore). O imóvel possui três pavimentos, dos quais dois estão abertos ao público.

No primeiro piso há uma visita guiada ao mundo do sorvete e no segundo está a “cereja do bolo” desta grande restauração: tem uma capela com detalhes dourados e uma porta com um entalhe magnífico; os quartos das filhas de Amado Bahia e um lindo salão com paredes revestidas de espelhos franceses, vidros de janelas com desenhos delicados como os feitos em cristais.

Com vista para a exuberante Península de Itapagipe, o Solar tem referências de diversos países europeus, tendo toda a sua extensão tomada por um gradil em peças feitas de ferro fundido com chumbo, importadas da França, além de uma escadaria com piso em mármore carrara.

Projetado pelo português Francisco Mendonça, o Solar teve sua construção iniciada em 1901 e a inauguração ocorreu com toda pompa em 08 de dezembro de 1904, para os casamentos das filhas do proprietário Francisco Amado da Silva Bahia, Clara e Maria Julieta. O casarão foi doado em 1949 à Associação dos Empregados do Comércio da Bahia. Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan) em 1981, o Solar estava completamente abandonado desde 1993. Depois de muitos fatos, o casarão acabou leiloado em outubro de 2017, sendo agora possível a visitação.

Serviço
Endereço: Rua Porto dos Tainheiros, 80, Solar Amado Bahia / Museu do Sorvete, Bairro da Ribeira
Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 19h.
Ingresso: o acesso à sorveteria é gratuito. O acesso ao Museu do Sorvete / Solar Amado Bahia terá uma taxa de manutenção de R$ 10.
Telefone: (71) 3023-5953

Compartilhar: