简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Destinos Incríveis > Nas ruas do centro, a história guardada nos antiquários

Nas ruas do centro, a história guardada nos antiquários

Publicado em: 07/09/2019


Quem visita a área do centro antigo de Salvador, entre a Praça Castro Alves e a Praça da Sé, se depara muito mais que a arquitetura dos séculos XVII, XVIII e XIX, em igrejas e monumentos tombados, como o Palácio Ruo Branco e o prédio da Câmara Municipal. Em móveis rústicos de madeira de lei, lustres, objetos de uso pessoal e porcelanatos, está um pouco da história da Bahia e do Brasil Imperial.

Por detrás de todo o glamour da Rua Chile, entre a Praça Castro Alves e a Praça Municipal, escondidos nas prateleiras, armários, balcões e lojas sem a imponência das fachadas, parte significativa da história se faz presente nas diversas lojas de antiguidades, antiquários que guardam um pouco do cenário e costumes da Bahia e do Brasil Imperial, e que estão expostas em balcões e prateleiras se esconde nas lojas de antiquários de Salvador, nas ruas da Ajuda e Ruy Barbosa.

Entre o caminhada e um sorvete na Praça Municipal, depois de saborear um acarajé na Praça da Sé ou assistir a uma roda de capoeira, sem muito esforço, o turista e o próprio baiano descobrem raridades que vão de mobiliários feitos em madeira de lei, como cristaleiras, escrivaninhas e criados-mudos, a relicários em art decô dos séculos XVII e XVIII, e livros raros antigos e contemporâneos. E tudo a preços em conta que podem satisfazer os bolsos dos visitantes.

Não há grandes anúncios, nas identifica-se as lojas pela rusticidade dos seus ambientes, meio na penumbra, cheirando a madeirea antiga, com paredes sem pinturas. E é nesses locais que se escondem tesouros, verdadeiras relíquias da nossa história. Candelabros da Era Vitoriana, móveis imperiais em mogno, jacarandá, massaranduba, e até instrumentos musicais do neoclassicismo podem ser encontrados com uma rápida pesquisa.

Na rua Rui Barbosa, por exemplo, estão os dois Sebos (lojas de livros antigos e raros) mais antigos da Bahia. Descendo em direção à Ladeira da Praça, a rua fica estreita e possui inúmeros becos e vielas que ligam a área à Barroquinha, na Baixa dos Sapateiros. Mas subindo em direção à rua Chile, passa-se pela Rua da Ajuda, onde se concentram a maioria das lojas de Antiguidades.

Como chegar

Se você está no Centro Histórico (Pelourinho) basta seguir em direção ao Elevador Lacerda, na Praça Municipal e atravessar a Rua Chile. As ruas Ruy Barbosa e da Ajuda ficam por detrás da Igreja de Nossa Senhora da Ajuda.
Outro ponto de referência é o antigo Palace Hotel (atual Fera Palace) na rua Chile. Ali, no final da Praça Castro Alves fica a Rua Ruy Barbosa, onde estão os dois Sebos, e na metade dela, chega-se à Igreja da Ajuda e à rua do mesmo nome.

Compartilhar: