简体中文EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol

Destinos Incríveis

Você sabe o que é Caxixi? Então vá a Nazaré pra saber.

Postado em: 13/09/2018
Por: Adilson Fonsêca

Sabe um lugar daqueles que você vai e não consegue sair de mãos vazias. Fica esperando uma ocasião para conhecer? Pois é, ali pertinho de Salvador, a 220 quilômetros pela estrada, ou a 62 quilômetros a partir do Terminal do Ferry Boat, de Bom Despacho, na Ilha de Itaparica, fica o maior centro de artesanato em cerâmica da Bahia.

Ele oferece os mais diversos objetos de decoração, criados por mãos habilidosas, que herdaram o segredo da arte de pais e avós. O distrito de Maragojipinho, a poucos quilômetros da cidade de Nazaré, na beira do Rio Jaguaribe, é o principal polo, onde dezenas de olarias fabricam os famosos Caxixis.

O Caxixi a que nos referimos não é aquele instrumento musical, de origem africana, tipo chocalho, que foi apresentado pelo cantor Carlinhos Brown na Copa de 2014, mas sim miniaturas feitas com barro cozido, que existe a mais de 300 anos no Recôncavo Baiano, e que todos os anos é apresentado na Feira dos Caxixis, em Nazaré, no período da Semana Santa. Apesar do ponto alto da feira ser a Semana Santa, durante todo o ano é possível, em Maragojipinho, ver a produção artesanal dos oleiros e adquirir as peças.

As peças feitas de barro e também em louças, expostas e comercializadas possuem os mais variados formatos e tamanhos, chegando a dimensões maiores. Além das pequenas e delicadas peças, caprichosamente trabalhadas e originariamente destinadas à finalidade de brinquedos infantis, elas ganham coloridos e formatos diversificados como moringas, pratos, panelas, fruteiras, tigelas, frigideiras, cálices, quartinha, tálias, filtros, enfeites, de mimosos bibelôs a burrinhos quase em tamanho natural.

História – Ninguém ao certo sabe a origem da tradição, mas o que se conta é que a Feira dos Caxixis começou com uma pequena exposição idealizada por um oleiro de nome Patrício. Em uma canoa, navegando pelo Rio Jaguaripe, ele deslocou-se de Maragojipinho até Nazaré, na Semana Santa, levando miniaturas confeccionadas em barro, compradas pelos moradores ainda no porto. O sucesso motivou o artesão a convidar outros oleiros para irem com ele, originando a feira.

A cidade de Nazaré, fica a 239 quilômetros de Salvador por via terrestre, e a 62 quilômetros para quem faz a travessia pela Baia de Todos os Santos até Bom Despacho, em Itaparica. Além da famosa farinha de copioba, a cidade de Nazaré, é um local de rara beleza histórica. Lá estão sobrados coloniais e construções históricas, como o Solar Ataíde, Solar dos Sampaios, Sobrado do Engenho Novo e Sobrado do Hotel Colombor.

Como chegar

Depois de atravessar o ferry e a Ilha de Itaparica, segue-se 62 quilômetros pela BA-001 até Nazaré. Siga as placas que indicam Costa do Dendê (Valença, Camamu, etc), e alguns quilômetros depois de Nazaré, há uma placa indicando Maragogipinho e Aratuípe ( os nomes estão na mesma placa, mas são direções opostas).

Compartilhar:

Outras
Notícias