简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol
Home > Destinos Incríveis > Um roteiro para você conhecer o melhor de Salvador

Um roteiro para você conhecer o melhor de Salvador

Publicado em: 13/02/2020
Por: Adilson Fonseca


O Carnaval está chegando, mas se você já está na cidade há muito a ver e fazer antes de cair na folia – se bem que o Carnaval aqui já começou e rola todo dia. Então, que tal um roteiro básico para você conhecer ou curtir o melhor dessa cidade…
Dos lugares mais tradicionais às comidas típicas, a sua história, a musicalidade e religiosidade. Cuidado para não se perder. Envolvido pelo encanto que essa terra propicia, o tempo parece curto para conhecer tantas maravilhas.
Antes de tudo, um pouquinho de história.

Voltemos a 1549, quando aqui aportou o navegador português Thomé de Souza, que depois se tornou o primeiro governador geral do Brasil, com ordens do Rei de Portugal para fundar uma cidade fortaleza na Baía de Todos os Santos. Nascia ali a acidade de São Salvador, sede do Governo-Geral, e, por muitos anos, a maior cidade das Américas.
E muito dessa história está diante de você. Pense nisso. É para poucos percorrer os caminhos dos escravos, contemplar as edificações para guarnecer essa cidade, provar das iguarias trazidas pelos africanos, contemplar um dos mais belos por do sol que já viu.


Hoje, toda essa história pode ser vista nos monumentos arquitetônicos e religiosos no Centro Histórico de Salvador, que abrange bem mais do que a área da antiga cidadela murada. Pela riqueza de suas construções, o Centro Histórico é Patrimônio Mundial pela Unesco. Por isso mesmo, sendo um dos destinos turísticos mais visitados da cidade, vale a pena se programar para não perder nada.
Em um passeio cultural, é possível andar pelas ruas de pedra repletas de casarões coloridos e centenários dos séculos XVI ao XIX, isso sem contar com a musicalidade sempre presente, e com as tradições ancestrais da religiosidade herdada pelos antigos escravos africanos, assim como a mistura gastronômica deixada pelos africanos, índios e portugueses do período colonial, que fazem da culinária baiana única no Brasil.


Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos
Esta é uma Igreja peculiar e fica no coração do Pelourinho. Religião Católica, com atabaques do Candomblé. A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos foi fundada no ano de 1685 e elevada à categoria de Ordem Terceira em 2 de julho de 1899.
Preservando sua história ligada aos escravos, a liturgia dos cultos faz uso de música inspirada nos terreiros de Candomblé, ao som de atabaques. Nesta igreja é celebrada, toda terça-feira, uma missa católica que incorporou alguns dos elementos da cultura africana, como as cantorias e danças.


Largo do Pelourinho
O Largo do Pelourinho sempre esteve presente na vida e obra do escritor Jorge Amado. A Fundação Casa de Jorge Amado é localizada no icônico casarão azul do Centro Histórico. Uma organização sem fins lucrativos, que tem como objetivo preservar, pesquisar e divulgar os acervos bibliográficos e artísticos de Jorge Amado e da arte e literatura da Bahia. A Casa promove debates permanentes sobre a cultura baiana, sobretudo a luta pela superação das discriminações raciais e socioeconômicas.


Museu da Misericórdia.
Mais de 3 mil peças catalogadas contextualizam uma narrativa histórica de quase 500 anos. O imponente palacete do século XVII, situado entre a Praça Municipal e a Praça da Cruz Caída, guarda parte expressiva da História da Bahia e do Brasil. Em cada um dos corredores e salões do Museu da Misericórdia, há algo que reconta eventos de saúde, políticos e sociais da cidade de Salvador. O local já abrigou o Hospital da Caridade, primeira unidade de saúde do estado, cuja história começa no mesmo ano em que nasceu a capital baiana, em 1549.
O acervo, composto por mais de 3 mil peças catalogadas, contextualiza uma narrativa histórica de quase 500 anos. Destaque para a Farmácia, o armário de 1867, exclusivamente construído para armazenar frascos com substâncias farmacêuticas do Hospital da Caridade, e o primeiro carro movido a gasolina da Bahia e o mais antigo em exposição no Brasil. Além disso, tem uma vista deslumbrante da Baía de Todos os Santos.
Cafelier. Santo Antônio Além do Carmo
Quando for escolher um lugar para ver um lindo pôr do sol, o Cafelier é um excelente local. Ideal para saborear um bom café com guloseimas ou para um bate-papo regado a cervejinhas bem geladas e tira-gostos de frente para a Baía de Todos Santos. Atmosfera boa para passeios românticos, ocasiões especiais e famílias com crianças. A decoração é uma graça, você vai amar esse lugar.


Bar Cruz do Pascoal. Santo Antonio Além do Carmo
Este é aquele botequim clássico com cerveja gelada e a mais saborosa carne de sol com pirão de aipim. O Bar Cruz do Pascoal serve menu regional em clima informal, além de manter objetos originais do tempo de empório, com destaque para uma enorme máquina registradora metálica de botões e teclados. Fundado em 1952 pelo espanhol Porfírio Amoedo, o bar é famoso pela cerveja gelada, pelos saborosos petiscos e pela privilegiada e disputadíssima vista para a Cidade Baixa e a Baía de Todos os Santos. O bar é frequentado por artistas, boêmios, turistas e cidadãos comuns. Ícone da boemia soteropolitana, o Bar do Pascoal se mantém fiel à própria tradição!
Igreja da Ordem Terceira de São Francisco
Erguida entre os séculos XVII e XVIII, a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco possui fachada em pedra arenito lavada e decorada em altos-relevos e é o único exemplar no Brasil que remete ao barroco espanhol. O projeto é de Gabriel Ribeiro, considerado um dos introdutores do barroco no Brasil. O local também abriga o único conjunto de azulejaria portuguesa que representa a cidade de Lisboa, em Portugal, antes do terremoto de 1755.


Igreja de São Francisco, Pelourinho
Erguidos entre os séculos XVII e XVIII, a Igreja e o Convento de São Francisco são classificados como uma das Sete Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo e tombados pelo IPHAN. Seus azulejos portugueses do século XVIII reproduzem o nascimento de São Francisco e estão adornados por talhas de madeira moldadas com ouro em pó e com símbolos do barroco brasileiro: folhas, pelicanos, flores, anjinhos. Essa Igreja também é conhecida como a Igreja de Ouro!
Elevador Lacerda
A melhor vista para a Baía de Todos os Santos, podendo alongar a visão até a Ilha de Itaparica, e das ilhas que compõem o município de Salvador, além da região doe Subúrbio Ferroviário e da Península de Itapagipe. O Elevador Lacerda foi o primeiro elevador urbano do mundo. Quando foi inaugurado em 1873, era também o mais alto, com 63 metros. Liga o Bairro do Comércio à Cidade Alta, num percurso de aproximadamente 20 segundos.


Mercado Modelo
Polo do artesanato baiano, o Mercado Modelo é um resumo da cultura da Bahia, da origem do Brasil. Tudo começou por aqui! O local é rodeado por outros cartões-postais da cidade. Você pode aproveitar o Elevador Lacerda e visitar o Centro Histórico, (na Cidade Alta), no mesmo dia.
São mais de 250 lojas de artesanato local, lembrancinhas, roupas, doces, cachaças, as famosas fitinhas do Bonfim e outras miudezas da Bahia! Lá se encontram restaurantes tradicionais como o “Maria de São Pedro” e o “Camafeu de Oxóssi”. Existem, também, opções mais modestas. Vá! Tem muita história naquele lugar!
O Cravinho. Pelourinho
Não deve ter nenhuma celebração no Pelourinho em que o Cravinho não esteja presente. Marca registrada das festas de largo, o cravo e a canela trazem um gosto e aroma bastante encorpados que, misturados com o álcool, formam uma infusão curiosa.
No Pelourinho, há três locais que vendem a bebida tão peculiar de Salvador. Um dos mais famosos é o bar com o próprio nome da bebida, que fica no Largo Terreiro de Jesus. O Bar do Cravinho, ao estilo taberna, é uma das sensações do Centro Histórico, e, além da bebida, ainda serve uma famosa moela. Além de ter uma lojinha com vários itens interessantes para os turistas.

Responder
Encaminhar

Compartilhar: